Ir al contenido
o

 Regresar a Juventude Viva
Pantalla completa Sugerir un artículo

Conselho Nacional de Juventude debate Política sobre Drogas

septiembre 1, 2014 15:41 , por Desconocido - 0no comments yet | No one following this article yet.
Viewed 35 times

imageNos últimos dias 27 e 28 de agosto em Brasília/DF, o Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) realizou o Seminário: “Autonomia, Cidadania e Direitos Humanos para a Juventude: A reinvenção necessária das Políticas sobre Drogas”. O evento contou com a presença de pesquisadores, representantes da sociedade civil e poder público que trabalham com o tema.

O Seminário surge por uma iniciativa de militantes Anti-Proibicionistas, que, através de uma oficina com integrantes do Conjuve, criaram um grupo de trabalho que discutiu as Políticas de Drogas relacionadas à juventude. “Estamos fazendo um esforço de construir possibilidades de debates com diversos atores jovens no enfrentamento à guerra àsdrogas”, diz Luana Malheiro, integrante da Rede Latino-Americana de Pessoas que usam Drogas e uma das organizadoras do evento.

A abertura do evento contou com a participação do Antonio Lancetti, psicanalista e assessor técnico do Ministério da Saúde para saúde mental, álcool e outras drogas. Antonio enfatizou a importância de se trabalhar o tema com os diversos setores da sociedade. “Em nome da saúde pública, criou-se uma guerra. Todos que trabalham no complexo de drogas lidam com pessoas expostas ao maior risco. Vivemos uma epidemia, mesmo a droga sendo uma substância inerte. As drogas influenciam os drogados e os não-drogados”, diz.

Segundo o secretário-executivo do CONJUVE, Murilo Amatneeks, o seminário foi muito produtivo. "Conseguimos realizar um debate de alto nível que muito contribui para subsidiar o CONJUVE neste tema. Para a agenda da Política Nacional de Juventude, o evento ficará marcado como um pontapé inicial de uma articulação que há muito queríamos fazer para fortalecer políticas como o Plano Juventude Viva”, diz.

Durante o seminário, foram apresentadas experiências de “boas práticas” realizadas por iniciativas públicas como o Programa Braços Abertos, executado pela Secretaria de Direitos Humanos da cidade de São Paulo, voltado especificamente para usuários de Crack situados na Cracolândia. Foram apresentadas também as práticas realizadas pela Prefeitura de São Bernardo do Campo/SP, através da Coordenação de Saúde Mental, além dos Projetos Pontos de Cidadania e Corra para o Abraço, ambos realizados pela Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos da Bahia.

Fonte: Conselho Nacional de Juventude

Participatório da Juventude

Siga-nos no Twitter!
Acompanhe nossa Fã Page no Facebook!    


0no comments yet

Publicar un comentario

Los campos son obligatorios.

Si eres un usario registrado, puedes iniciar sesión y automáticamente ser reconocido.