Ir para o conteúdo
ou

COMPARTILHE:

Plano Nacional de Start Ups

 Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Secretaria Nacional da Juventude sedia encontro do comitê consultivo do Plano Nacional de Startups

17 de Julho de 2017, 15:05 , por mariel.zasso@gmail.com - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 20 vezes

Photo5165769360214697914

O Secretário Nacional da Juventude Adjunto Felipe Vinhas e os consultores da Elogroup atentos às sugestões e críticas dos especialistas. (Foto: Ascom/SNJ)

A Secretaria Nacional da Juventude sediou na última quinta-feira (20) o primeiro encontro do comitê consultivo do Plano Nacional de Desenvolvimento de StartUps para a Juventude. O Plano  Nacional de  Desenvolvimento  de  Startups  para  a Juventude será um plano estratégico para o Governo, que fornecerá subsídios e insumos para que a juventude brasileira empreendedora desenvolva suas startups.

O evento reuniu representantes do governo, academia e sociedade civil, para discutir o diagnóstico do ecossistema empreendedor brasileiro, dando início a segunda etapa do projeto de elaboração do Plano. Para tanto, a SNJ convidou especialistas de todo o país envolvidos com o tema em diversas frentes.

Para o Secretário Adjunto da SNJ Felipe Vinhas, que coordenou o evento juntamente com os consultores da EloGrupo, a relação da juventude com o empreendedorismo no Brasil, em seus mais diversos perfis, é intrínseca e não pode ser desconsiderada:

“Somos  hoje um país com aproximadamente 51 milhões de jovens e nosso desenvolvimento sócio-econômico está diretamente ligado ao que estes jovens serão capazes de produzir. O jovem pode assumir no empreendedorismo um papel de destaque desde que sejam fornecidas a eles as condições para tal. É crucial termos um ecossistema  que de fato seja favorável ao empreendedorismo em qualquer estágio.”

Para Vinícius Lima, coordenador da agência de fomento social Besouro Suco, que abrange o ensino do empreendedorismo em comunidades periféricas e favelas no Brasil e Argentina, os jovens de baixa renda, maioria da população brasileira, são os que mais precisam se beneficiar de uma política de empreendedorismo que considere suas especificidades.

"Setenta por cento da população brasileira é jovem e das classes C e D, se nós não pensarmos nessa população, que é a maior parte, não podemos pensar num diagnóstico de startups nem de empreendedorismo. Os jovens sofrem muito preconceitos quanto a serem capazes, especialmente quando são de classes mais carentes. A iniciativa de desenvolver um ambiente de oportunidades de empreendedorimo diminui a chance desses jovens caírem na violência ou dogradição, já que oferece mais um contexto no qual eles podem se inserir, além da cultura, do esporte."

Iniciativas de sucesso servem de inspiração

Photo5165769360214697915

Os convidados do comitê consultivo reuniram-se em grupos de trabalhos para pensar problemas e soluções no diagnóstico do ecossistema empreendedor. (Foto: Ascom/SNJ)

O projeto Porto Digital, uma política bem sucedida, reconhecida nacional e internacionalmente, já soma 17 anos de atuação no centro histórico de Recife, e conta com quase 300 empresas de tecnologia da informação, mais de 8500 pessoas e quase um bilhão e meio de reais de faturação. Além de ser uma política de desenvolvimento econômico e de suporte aos negócios de inovação, é também uma política de revitalização urbana, que recuperou casarios colonias da área portuária do Recife para acolher empresas de tecnologia.

O diretor de Inovação e Competitividade do Porto Digital, Guilhermes Calheiros, parabenizou a iniciativa do Governo Federal de construir o projeto coletivamente:

"Estamos muito felizes de estar contribuindo junto com diversas instituições nacionais de relevância na área, discutindo sobre os caminhos que se pretendem seguir para a sustentabilidade do projeto. E empreendedorismo tem tudo a ver com a Juventude. Quem faz 99% das stratups são os jovens. Ter a Secretaria Nacional da Juventude liderando os conjuntos de iniciativas que têm diversos outros ministérios e instituições privadas e públicas no Brasil afora será muito útil para dar uma visão global das iniciativas para a área."

Juliana Muller, uma das quatro representantes do Ministério da Ciência e Tecnologia presentes no evento, considerou louvável o esforço de incluir diversos órgãos e instituições na construção do Plano: 

"O Ministério da Ciência e Tecnologia certamente terá muito o que trocar com a SNJ, que está de parabéns por essa iniciativa louvável de envolver diversos órgãos públicos e instituições para pensar juntos esse plano. Estamos ansiosos para continuar colaborando nos próximos passos."

O projeto de elaboração do Plano Nacional de Desenvolvimento de Startups para Juventude está estruturado em sete etapas, incluindo a proposta de revisão da legislação pertinente e consultas públicas para a construção dos novos instrumentos de regulamentação. As informações sobre o processo e as futuras consultas serão reunidas na comunidade sobre o plano no Portal da Juventude.

 


0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

Estatísticas para startups

  • 0 usuários
  • 0 tags
  • 0 comentários

0 Integrantes

Nenhum(a)