Ir para o conteúdo
ou

COMPARTILHE:

Plano Nacional de Start Ups

 Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Comitê de Desenvolvimento de Startups para Juventude se reúne em Brasília

30 de Agosto de 2017, 19:55 , por snjuventude@gmail.com - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 26 vezes

Whatsapp image 2017 08 30 at 19.43.57Participantes debatem as diretrizes do Plano Nacional de Startups da SNJ, cujo lançamento está previsto para novembro

Representantes dos Ministérios do Desenvolvimento, Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Fazenda, Trabalho, Educação, Ciências, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Confederação Nacional das Indústrias (CNI) e sociedade civil, participaram, nessa quarta-feira (30), do 2º Encontro do Comitê de Desenvolvimento de Startups para Juventude, promovido pela Secretaria Nacional de Juventude, em Brasília.

No encontro foram debatidas as diretrizes do Plano Nacional de Startups, voltadas para o estímulo do empreendedorismo entre os jovens. O secretário Nacional de Juventude, Assis Filho, explicou que o plano está sendo elaborado para contribuir como uma ferramenta de retomada ao crescimento econômico do país.

“Nós precisamos da participação ativa dos jovens no empreendedorismo. É com esse entendimento que nós queremos construir o Plano Nacional de Startups. Nosso trabalho será criar uma política pública de estado e não de governo. Vamos colocar em prática ações que nos tragam resultados de verdade, independentemente de qual partido político estiver no poder. Vamos buscar a participação da inciativa privada, de especialistas, da sociedade civil e de todos os atores envolvidos na temática para que tenhamos, de fato, um plano que reflita a realidade do Brasil”, afirmou Assis Filho.

Os participantes trocaram experiências sobre programas e inciativas já existentes, como o Programa Startup Brasil, uma ação do governo federal criada pelo MCTIC em parceria com aceleradoras, para apoiar as empresas nascentes de base tecnológica. O Esocial, do Ministério da Fazenda, também é referência no setor, porque visa desburocratizar o ambiente regulatório para melhorar a conjuntura de negócio, como o cumprimento de obrigações fiscais, trabalhistas e previdenciárias. O Programa Nacional de Educação Empreendedora, do SEBRAE e CNI, que investe na capacitação de professores para a capilarização do ensino empreendedor, também foi citado durante o encontro, assim como o acesso a microcrédito para empreendedores pelo BNDES e o Fundo BR Startups, da Microsoft, que apoia a escala de empreendimentos de base tecnológica.

Para o Secretário-adjunto Nacional de Juventude, Felipe Vinhas Santos, todas as contribuições darão suporte para que o Plano Nacional de Startups estimule o público jovens de 15 a 29 anos.

“O trabalho de consultoria é feito com o propósito de mapear os entraves e direcionar ações que visem o aprimoramento de nossas políticas públicas. Queremos que o Plano Nacional de Startups facilite o acesso ao crédito, com orientações claras para que os jovens se sintam engajados à empreender, gerando novos postos de trabalho e de renda.

A previsão é que o Plano Nacional de Startups seja lançado em novembro, após ser submetido à consulta pública.


0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.