Ir para o conteúdo
ou

 Voltar a Notícias do ...
Tela cheia Sugerir um artigo

Mesas de diálogo com ministérios encerra o 2º Encontro de Gestores de Juventude

24 de Agosto de 2017, 20:37 , por snjuventude@gmail.com - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 182 vezes

Aaa encontro gestores ministerios

A ocasião foi o lançamento do programa Brasil Mais Jovem, um marco na história das políticas públicas voltadas para a juventude

O dia de encerramento do 2° Encontro de Gestores Estaduais e Municipais em Políticas Públicas de Juventude reuniu representantes de 13 ministérios para apresentar os programas e as iniciativas destinadas à população jovem. As ações integram o Brasil Mais Jovem, uma iniciativa do Governo Federal articulada pela Secretaria Nacional da Juventude (SNJ). Os mais de 200 gestores que marcaram presença no encontro se revezaram entre as mesas de conversa e rodas de discussão para tirar dúvidas e apresentar sugestões, além de discutir a implementação das iniciativas nos estados e municípios que eles representam.

Confira abaixo trechos dos pronunciamentos de alguns dos ministérios.

Ministério de Direitos Humanos
Gabriela Cruz – Diretora de Programas da Secretaria de Políticas de Promoção de Igualdade Racial (Seppir)
“A transversalidade das políticas é de suma importância para que possamos estabelecer um diálogo com os ministérios. Queremos garantir os direitos e a inclusão social de jovens negros vindos principalmente das periferias. O racismo é uma chaga social ainda aberta, ela se recusa a sanar. Muitas vezes as práticas racistas estão no nosso modo de olhar. A luta não é só do negro, a luta é de todos nós. As mulheres negras sofrem ainda com a violência obstétrica, morte materna, o estigma do corpo. Faço um apelo aos jovens: ajudem aos novos negros a se emancipar, levem serviços e informação. A Seppir tem políticas aplicadas em todos os ministérios.”

Ministério da Educação
Bruno Alves – Coordenador Geral de Políticas da Juventude
“A educação perpassa todos os setores da nossa sociedade e a ausência dela pode ser sentida tão fortemente quanto sua presença. O nosso maior desafio é investir de forma cada vez mais competente e consciente em políticas públicas que proporcionem autoestima, independência e dignidade a todos os jovens, na busca por um Brasil menos desigual. Anísio Teixeira costumava dizer que a educação é o espelho mais fiel da democracia, e nós estamos aqui para garantir que esse direito tão fundamental chegue a cada vez mais brasileiros e brasileiras.”

Ministério da Integração Nacional
Brenna Oliveira – técnica do Ministério da Integração Nacional
“A partir de 2018, o Fies será financiado pelos fundos regionais geridos pelo ministério. O maior público desse programa são os jovens, interessados no financiamento do Ensino Superior. A intenção é ofertar 100 mil vagas a juro zero para estudantes com renda mensal familiar de até três salários mínimos.”

Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações
Felipe Sereno – Coordenador do Programa
“Trabalhamos com aceleradores de startups para reforçar o ecossistema de empreendedorismo brasileiro. Até hoje apoiamos 183 startups e temos muitos casos de sucesso. Também trabalhamos com acesso a aceleradores privados.”

Ministério da Defesa
Pedro Ataíde Cavalcante – Assessor
“No cenário atual da política, o corte de gastos é geral e atinge a nós e aos nossos projetos. Mas isso não é um impeditivo para transformar a realidade da juventude, como almejamos. Se houver interesse verdadeiro de estabelecer uma ponte de comunicação entre os órgãos federais e os municípios e destes com os jovens brasileiros, podemos sair vitoriosos na nossa missão. O momento é da juventude, são eles que vão conduzir esse país rumo ao futuro.”

Ministério do Desenvolvimento Social
Tarsila Crusius – Diretora de Atenção à Juventude e Adolescência da Secretaria Nacional de Promoção do Desenvolvimento Humano
“Hoje, mais de 50% dos presos no Brasil têm entre 15 e 29 anos. Está claro que nós temos nos jovens o público em maior situação de risco e de vulnerabilidade do país. São mais de 55 milhões de jovens e 56% deles têm perfil de cadastro único – ou seja, são baixa renda. Isso prova que o nosso serviço aqui é de suma importância, porque, se o sistema não conseguir evitar que os adolescentes infrinjam a lei, a sua maior chance de recuperação é a assistência social.”

Ministério do Esporte
Lorena Villar – Coordenadora de área
“Os nossos programas não visam a competitividade, sim a construção de consciência social e cidadania. A prática de atividades esportivas tem papel inerentemente transformador, porque influencia todas as áreas das vidas dos jovens, desde o relacionamento com a família até a relação com a escola e, futuramente, com a vida profissional.”

Ministério do Turismo
Leonardo Riul – Coordenador-Geral de Mapeamento e Gestão Territorial do Turismo
“A nossa pasta trabalha com municípios que têm interesse em desenvolver o potencial turístico de suas regiões. Promovemos cursos de capacitação para esse mercado, porque entendemos a importância de inserir os jovens no mercado de trabalho. Para isso criamos o Pronatec Turismo Social, que é destinado a jovens de 16 a 21 anos.”

Ministério da Cultura
Jorge Freire – Coordenador-Geral de Mobilização da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural
“Os Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUS), que integram programas e ações culturais, práticas esportivas de lazer, formação e qualificação num mesmo espaço. Também temos o Pronatec Cultura, que capacita o jovem para trabalhar com a área cultural.”

Ministério da Justiça e Segurança Pública
Rafael Rocha – Secretário de Políticas Sociais
"O Protejo chega no território e tenta rever toda a cultura de violência que o jovem está imerso. Ele atua na formação da cidadania de mulheres e jovens em locais de vulnerabilidade.A violência contra o jovem é multicausal, então precisamos atuar em várias frentes com várias ações."

Ministério da Justiça e Segurança Pública
Rafael Rocha – Secretário de Políticas Sociais
"O Protejo chega no território e tenta rever toda a cultura de violência que o jovem está imerso. Ele atua na formação da cidadania de mulheres e jovens em locais de vulnerabilidade.A violência contra o jovem é multicausal, então precisamos atuar em várias frentes com várias ações."

Ministério da Saúde
Juliano Rodrigues - coordenador da Saúde do Homem
"Culturalmente falando, depois que o homem chega na adolescência se afasta dos cuidados da saúde. Na idade adulta – 20 aos 29 anos – há uma alta taxa de mortalidade no Brasil, se comparado com as mulheres. De cinco pessoas que morrem nessa faixa etária, quatro são homens. No Brasil nascem mais homens que mulheres, mas, na idade adulta, devido à violência e mortes no trânsito, as mulheres estão em maior número. Para o Ministério, ‘cuidar da saúde’ prioriza a promoção e a prevenção que significa que o homem precisa procurar as unidades básicas antes de adoecer ou quando tiver um sintoma inicial para evitar que a doença avance."

Ministério do Trabalho
Tatiane Padilha: Coordenadora Geral de Aprendizagem e Estágios 
"A necessidade de ajudar jovens e adolescentes a ingressarem no mercado de trabalho nos levou a implementar o programa Jovem Aprendiz. Nele, os jovens tem a chance de desenvolver competências que o ajudarão futuramente em um ambiente acolhedor, didático e que não prejudica os seus estudos. As empresas, não menos beneficiadas, têm a oportunidade de contribuir para a formação dos futuros profissionais do país e difundir seus valores e cultura internas. Nessa parceria, todos saem ganhando."

Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento
Camila Barbieri - Consultora
“Todos os dias nós nos perguntamos 'Como a agricultura pode transformar a vida dos brasileiros?'. Essa pergunta abriu várias possibilidades, gerou questionamentos ainda mais  complexos e nos impulsionou a criar o Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que financia projetos individuais ou coletivos com o objetivo de gerar renda para os agricultores familiares e assentados da reforma agrária. O crédito fundiário concedido no Pronaf funciona como o impulso inicial para milhões de brasileiros se empoderarem ao garantir o sustento familiar por meio do trabalho na terra. Acreditamos que, ao ajudar o pequeno agricultor, o país também será ajudado.” 

Texto: Ascom/SNJ

 


0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.