Ir para o conteúdo
ou

 Voltar a Notícias do ...
Tela cheia Sugerir um artigo

Em conferência, juventude paulista demanda descriminalização do aborto e das drogas

18 de Novembro de 2015, 0:00 , por Danilo Castro - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 217 vezes

 Durante a 3ª Etapa Estadual da Conferência de Juventude, realizada em Atibaia (SP), no último fim de semana, cerca de 930 participantes de todas as regiões do estado aprovaram um conjunto de reivindicações que sinalizam a favor da descriminalização do aborto e das drogas, desmilitarização da Policia Militar e repúdio à violência contra a juventude negra.

Educação, saúde, cultura, liberdade de expressão e segurança pública foram alguns dos temas debatidos durante o encontro, cuja discussão será retomada entre os dias 16 e 19 de dezembro, quando ocorrerá a 3° Conferência Nacional de Juventude, em Brasília (DF). O evento reunirá mais de dois mil jovens de todo o Brasil, entre delegados e delegadas eleitos pelas Etapas Estaduais, Territoriais e Digital. Na ocasião, jovens entre 15 e 29 anos irão apresentar propostas para o Estatuto Nacional de Juventude.

Um dos responsáveis pela viabilização da Conferência, o secretário nacional de Juventude, Gabriel Medina, comemorou o resultado do evento. "Diferente do senso comum que acredita que todo paulista/paulistano é portador de valores conservadores, o que vi foi o oposto. As resoluções e propostas aprovadas caminharam em outro sentido, a defesa dos direitos dos LGBTs, mulheres, negros, indígenas e jovens com deficiência foram a tônica do debate. A juventude se posicionou claramente contra as pautas conservadoras do Congresso, como a PEC 215, o estatuto da família, o fim do estatuto do desarmamento, a redução da maioridade penal e o projeto que proíbe o uso de métodos contraceptivos pelas mulheres", disse.

Para Gabriel, a 3° Conferência Nacional de Juventude é um espaço fundamental de renovação do ativismo político e social e se transformou numa arena da diversidade e da luta contra as opressões. "Jovens das favelas e do campo demonstraram com muita firmeza suas convicções de luta por uma sociedade com mais igualdade e liberdade", destacou.

 


Categorias

Atibaia, Participação Social, Educação, Segurança

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.